sexta-feira, 19 de junho de 2015

Desafio do Facebook - 3º dia: Octávio Paz

             De vez em quando sou convidada a participar de algum desafio lá no Facebook, sempre aceito e posto o que for pedido. 
Desta vez, achei por bem trazer para o blog o desafio que recebi da Marilda: 4 textos, de qualquer gênero, estilo, autor. Um por dia durante quatro dias.



3º  dia:
A Chama, A Fala



Num poema leio:

“conversar é divino.“

Porém, os deuses não falam:

Fazem e desfazem mundos

enquanto os homens falam.

Os deuses, sem palavras,

jogam jogos terríveis.



O espírito desce

e desata as línguas,

porém não fala palavras:

fala lume. A linguagem,

pelos deuses acesa,

é uma profecia

de chamas e uma torre

de fumo e um colapso

de sílabas queimadas:

cinza sem sentido.



A palavra do homem

é filha da morte.

Falamos porque somos

mortais: as palavras

não são signos, são anos.

Ao dizer o que dizem,

os nomes que dizemos,

dizem tempo: dizem-nos.

Somos nomes do tempo.



Mudos também os mortos

pronunciam as palavras

que nós, os vivos, dizemos.

A linguagem é a casa

de todos, a casa suspensa

no flanco do abismo.

Conversar é humano.
Sobre o autor:
OCTAVIO PAZ (1914-1998) — Mexicano. Prêmio Nobel de Literatura em 1991. Importante ensaísta e conferencista (El Laberinto de la Soledad, El Arco y la Lira, El Mono Gramático, Los Hijos del Limo, Sor Juana Inés de la Cruz o las Trampas de la Fe). Alguns livros de poesia: Piedra de Sol, Salamandra, Blanco, Vuelta, Árbol Adentro.
Veja também:
1º dia: Adélia Prado
2º dia: Rubem Alves
4º dia:Mia Couto