quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Eu e os Poetas do Recife, Mauro Mota

 Quem encontrei na Praça do Sebo, no Recife?  Mauro Mota!
Vestindo, literalmente, a camisa da revitalização do lugar.  Poetas, eu penso, vivem assim noutra dimensão...

Confesso que só agora por causa do blog estou descobrindo esse autor que nasceu há 103 anos na cidade de Nazaré da Mata em Pernambuco.  Ele foi imortal da ABL, ocupante da cadeira 26 que hoje está com Marcos Vilaça.

Minha filha gentilmente me acompanhou  nesse passeio pelo circuito da poesia. Não lembro o que tinha nesse livro, então vou postar:



Diálogo Com Carlos Pena Filho No Primeiro Aniversário De Sua Partida do Recife

 - Carlos, foste há um ano?
-Nem me lembro!
Nesse julho de chuva não me fui.
Estou. Meu calendário é de setembro,
da mesa do "Savoy": Caio,Zé, Rui.

Das casuarinas lá na minha rua
13 de maio
- Carlos, de que mais?
- Da lagoa do carro

E o sangue e a tua 
ida (para onde?) que hoje um ano faz?

- o remo é azul, azul é o passaporte.
Vejo-me. Hoje me vi. Navego. Pára 
a canoa no Cais de Santa Rita.

-Quem morre no Recife engana a morte.
Se criei, no azul, os meus azuis, foi para
esta cidade que me ressuscita.

(Itinerário - 1975)

Já estive também com Antônio Maria,Chico Science e Manuel Bandeira.