domingo, 30 de dezembro de 2018

Para Degustação: O Pintor de Retratos, Luiz Antonio de Assis Brasil

     Ficou um ano em Rio Pardo. refez seu guarda-roupa. Comia bem, para esquecer-se da revolução; engordou onze quilos. De Montevidéu encomendou o material fotográfico francês, e trabalhava para quem lhe pagasse. Montou estúdio numa dependência alugada à casa canônica. Muitos notaram que ele percorria todas as tardes o caminho que ligava ao bordel. O vigário indignou-se quando soube desses hábitos de seu inquilino, mandou-o porta afora.
     Procurou outro lugar, mas nenhum lhe pareceu bom. Foi a dona Moça quem lhe disse: 
     - Fosse eu, voltava para Porto Alegre
     - Lá não me querem.
     Ela então mandou saber algo pela irmã. A informação foi simples: com tantas preocupações políticas e revolucionárias, a cidade havia esquecido Sandro Lanari. Deveria confiar: a mana Antônia era prática nesses assuntos de sociedade e malquerenças.
     Assim, em poucos dias ele estava em Porto Alegre, e de novo na Pensão Itália, no mesmo quarto de antes.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Postagens Mais Acessadas de 2018

Quando a Lua Clareia as Águas do Rio
Sol de Primavera
Sol de Primavera
Por que Ler A Literatura Como Turismo?
Dribles do Passado
Dribles do Passado
Melhor Capa de Revista de 2018





Clique na imagem para ler as postagens mais acessadas de 2018


sábado, 22 de dezembro de 2018

Livros Mais Vendidos em 2018


1º A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, de Mark Mason (Intrínseca)

2º As Aventuras na Netoland com Luccas Neto, de Luccas Neto (Nova Fronteira)
3º O Milagre da Manhã, de Hal Elrod (Best-Seller)
4º Álbum da Copa – Rússia 2018 (Panini)
5º Seja Foda!, de Caio Carneiro (Buzz)
6º O Poder da Ação: Faça sua Vida Ideal Sair do Papel, de Paulo Vieira (Gente)
7º O Poder do Hábito, de Charles Duhigg (Objetiva)
8º Sapiens – Uma Breve História da Humanidade, de Yuval Noah Harari (L&PM)
9º O Poder da Autorresponsabilidade, de Paulo Vieira (Gente)
10º Propósito, de Sri Prem Baba (Sextante)
11º Me Poupe!, de Nathalia Arcuri (Sextante)
12º Textos Crueis Demais Para Serem Lidos Rapidamente, vários autores (Globoalt)
13º Vade Mecum Tradicional, vários autores (Saraiva)
14º Ainda Sou Eu, de Jojo Moyes (Intrínseca)
15º Felipe Neto – A Vida Por Trás das Câmeras, de Felipe Neto (Nova Fronteira)
16º Os Segredos da Mente Milionária, de T. Harv Eker (Sextante)
17º Origem, de Dan Brown (Arqueiro)
18º Extraordinário, de R. J. Palacio (Intrínseca)
19º Outros Jeitos de Usar a Boca, de Rupi Kaur (Planeta)
20º Mais Escuro, de E.L. James (Intrínseca)
21º O Poder do Agora, de Eckhart Tolle (Sextante)

(Fonte: Folha de São Paulo - Bebel, Literarura e mercado editorial- 22.12.18)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Para degustação: O Que Vem Ao Caso, Inez Cabral

  
   Alguns meses depois da renúncia de Jânio Quadros, sai do Brasil aos treze anos, direto para Madri (onde sua mãe inventa de matriculá-la no balé) e, alguns meses depois, para Sevilha. Tem que aturar mais uma vez a educação que as meninas aristocratas (ela é a única plebeia do colégio) recebem na Espanha de Franco. São preparadas para, ao terminar os estudos, casar e obedecer ao marido ou ir para um convento, opção bem ressaltada nas aulas de religião. Segundo as madres, não é para qualquer uma, apenas as que merecem ouvirão o chamado  de Cristo. 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Soneto da Paz, Joaquim Cardozo

Este soneto é natureza morta,
Traço na alvura, sobra de uma flor,
Sinal de paz que inscrevo em cada porta,
Gesto, medida de comum valor.

É letra e clave, é modulo que importa
Na redução da voz, do som. Calor
Do que vivido foi e inda comporta
Palpitação de implícito lavor.

Moeda que correu por muitas mãos,
Brinquedo que ficou perdido a um canto
Num lago de esquecidas esperanças.

Mas nos seus versos fecho os sonhos vãos
E em notas claras, digo, exalto e canto:
-Paz! Paz! Brincai, adormecei, crianças!

Cardozo, Joaquim. Poesias Completas. Ed.Civilização Brasileira, Rio de Janeiro 1979, pág.64





quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

O Que Será Que Vou Ganhar?

Dei duas sugestões ao meu amigo secreto. Qualquer uma delas vai me agradar imensamente. Preciso, no entanto, conter minha curiosidade.

O Que Eu Pedi a Meu Amigo Secreto?

Em seu romance de estreia, Inez Cabral relata as experiências de quando viajava pelo mundo ao lado da família e do pai e poeta João Cabral de Melo Neto, até a idade adulta. O Que Vem ao Caso é baseado nas experiências pessoais de Inez Cabral e reconstrói parte de sua infância, juventude e idade adulta. Os cenários variados do livro — Barcelona, Recife, Rio de Janeiro, Sevilha, Marselha, Madri, Genebra — são as cidades onde morou, sempre acompanhando o pai, o poeta e diplomata João Cabral de Melo Neto. E para quem acha que este livro é, na verdade, sobre ele, podem esquecer. Aqui o poeta é personagem coadjuvante. Em seu impressionante relato, Inez fala de laços familiares, descobertas pessoais, tentativas e erros, amadurecimento. Vêm ao caso sentimentos, as constantes mudanças de casa, os internatos que frequentou, a entrada na vida adulta, os amores, a maternidade... tudo reconstituído com muito humor. Inez Cabral tem o raro talento de imprimir emoção à narrativa, não importando se o assunto é um fato corriqueiro, uma experiência traumática ou um anedotário familiar. O que vem ao caso é um livro sobre laços familiares irreverente, divertido, uma fantástica jornada entre fragmentos de memória. (Liv. Saraiva)

Organizada pelo contista, romancista e ensaísta Flávio Moreira da Costa, Aquarelas do Brasil mostra a interação entre a música popular e a literatura brasileira em 33 obras-primas da narrativa curta. Pioneira e criativa, esta é uma antologia que canta em prosa nosso Brasil brasileiro e por isso já no título homenageia uma de nossas músicas mais famosas. Como um acorde de Pixinguinha ou o samba de Ary Barroso, a reunião destes textos é um belo e comovente retrato de nossa cultura musical e literária e encontra sua harmonia em meio a ritmos diversos, inspirada em coisas nossas e outras bossas. (Amazon)












Representante de Pernambuco na ONU Precisa de Nossa Ajuda

Aluno de Lagoa de Itaenga pede ajuda para representar o Estado na ONU

Matéria de: Blog da Folha de Pernambuco
 O estudante Estênio Ferreira, do município de Lagoa de Itaenga (PE), foi aprovado na última quinta-feira (22) para integrar a Delegação Brasileira na Assembleia da Juventude da Organização das Nações Unidas nos dias 15 a 17 de fevereiro, em Nova Iorque. Ele busca agora conseguir recursos para custear as despesas da missão internacional.

O evento, com jovens de mais de 110 países, é voltado para a discussão de temáticas sociais e ambientais, conforme os 17 Objetivos Sustentáveis da ONU. Na Assembleia da Juventude, Estênio terá a oportunidade de contar às experiências que passa no Brasil, principalmente em sua cidade onde coordena de forma voluntária uma biblioteca comunitária com a colaboração do farmacêutico Napoleão Baião e do professor João Francisco.
O projeto, criado em 2017, busca contribuir para o acesso ao conhecimento e despertar em crianças e jovens o hábito da leitura. Os voluntários se dedicam à realização de atividades interativas, como palestras sobre a história de Lagoa de Itaenga, rodas de leitura e saraus. Além disso, na biblioteca também são oferecidas aulas de reforço escolar, Inglês e Espanhol para crianças e adolescentes, gratuitamente.

Apesar de ter garantido uma das vagas do evento, Estênio Ferreira não tem condições de arcar com os custos da viagem e por isso conta com contribuições. "Conto com a ajuda de pessoas que acreditam, por exemplo, que a educação é a principal ferramenta de transformação da sociedade, inclusive no combate aos graves problemas causados pelo avanço da criminalidade", diz Estênio. 


Para colaborar:


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...