sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Valter Hugo, de volta à minha estante

Acabei de receber do volta O Filho de Mil Homens, de Valter Hugo Mãe. É sempre bom receber correspondência e se for livro melhor ainda. No meu caso ou recebo porque comprei algum livro que queria ou porque voltou às minhas mãos algum exemplar que emprestei a várias pessoas, tendo o livro saído de uma cidade para outra até voltar.


O Filho de Mil Homens me emocionou muito. Ofereci no grupo formado para leitura de escritores africanos de língua portuguesa, que denominamos Morena de Angola.O livro saiu do Recife em Março. Passou por Fortaleza, São Paulo, Goiânia,Santa Maria de Jetibá (ES), Porto Alegre e  agora está comigo vindo de João Pessoa.









Saiu de minha casa, com um bilhetinho  e voltou com vários. Janete, que recebeu de Neto, leu o livro em abril. Diz que V.H.M é apaixonante. Acrescenta que não acredita na libertação do autor em relação a seu mentor, Saramago. No próximo ano vou na casa de Janete. A Tânia, em Maio, diz que a leitura flui verdades com delicadeza. Suzie acha que o autor consegue ser duro e triste sem ser cruel, ressalta que o amor, sob a ótica de Valter Hugo Mãe, não olha diferenças, escreveu num bilhetinho em junho; Marilda diz ter gostado muito e me convida a conhecer a cidade onde mora, escreveu essa declaração num belo cartão no mês de novembro. Por fim, já no mês de dezembro Amanda diz ter gostado do livro e me manda um cartãozinho de natal junto com o livro que terminou a trajeto.

Ah, ainda dentro do livro alguém esqueceu um papel que nada tem a ver com Valter Hugo.   Enfim, no postal de POA e no convite para conhecer Goiânia vieram o
orgulho de ser gaucha e o carinho por Cora Coralina, retratado no cartão; No cartãozinho de Natal com letrinha caprichada veio a delicadeza da paraibana minha vizinha, no bilhetinho cearense o amor declarado à cidade do Recife e na folhinha amarela com enfeite clássico veio a sobriedade e delicadeza paulista. Cada um pôs um pouco  de si pra trazer de volta o gato angolano Valter Hugo Mãe à minha estante. Estou feliz. 


Beijo bem frevado em cada uma de vocês. Até a próxima.