terça-feira, 20 de setembro de 2011

Arrasando na terceira idade: Angústia, Graciliano Ramos (2)

Angústia - Graciliano Ramos 

Angústia, capa da 1ªed. 1936
Ano de lançamento 1936

Haviam desencadeado uma perseguição feroz. Tudo se desarticulava, sombrio pessimismo anuviava as almas, tínhamos a impressão de viver numa bárbara colônia alemã. Pior: numa colônia italiana -  
Trecho do livro Memórias do Cárcere. Refere-se aos Nazismo e Fascismo regimes que tanto encantavam Getúlio Vargas. Foi nessa época, e por ordem do então ditador brasileiro, que Graciliano Ramos escreveu Angústia, seu terceiro romance.  Poucas horas depois de terminar o livro, Graciliano Ramos foi preso em Maceio, sob a alegação, jamais comprovada,  de que havia conspirado no levante comunista de 1935.   Mas vamos ao livro:  Angustia foi lançado em agosto de 1936. Como toda a obra de Graciliano Ramos, leitura obrigatória até os dias atuais. 
Angústia é narrado na primeira pessoa. Luis da Silva, sufocado pela solidão, busca de sentido para a vida, falta de motivação narra no presente e no passado. O personagem é um funcionário público pobre que mora em condições desumanas na periferia de uma cidade pobre. Angústia, termina com personagem derrotado pela humilhação sistemática que lhe confere a pobreza de sua vida.   Luis da Silva assassina, em Julião, o que lhe angustia por toda a vida.  

Leia mais:
http://www.mundovestibular.com.br/articles/2494/1/ANGUSTIA---Graciliano-Ramos-Resumo/Paacutegina1.html

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/graciliano-ramos/angustia-resumo.php

(Agradeço a colaboração do(a) internauta que identificou-se apenas como T)