quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Livros infantis nada convencionais...



Livros infantis pouco convencionais estão causando debate na Suécia, desafiando os conceitos tradicionais de família e os papéis normalmente atribuídos a meninos e meninas.Nos livros de duas editoras suecas, meninos usam sandálias cor-de-rosa, meninas querem ser bombeiros e cientistas quando crescerem, e papai não é necessariamente quem sai para trabalhar enquanto a mamãe fica em casa cuidando do jantar. "Nosso objetivo é dar às crianças a liberdade de criar sua própria identidade, sem padrões pré-concebidos e sem preconceitos de sexo, raça e sexualidade", disse à BBC Brasil a escritora Karin Salmson, co-fundadora da editora Vilda. No livro Magic, Cilla&Baby, de Eva Lundgren, por exemplo, o menino Kasper é ruim de bola e o garoto Olle gosta de maquiagem, enquanto a menina Inger é famosa por seus gols de placa no hóquei e a amiga Ellinor passa os dias tocando guitarra elétrica. Em Sandaler (Sandálias), o personagem Imannuel é um menino que adora seus sapatos cor-de-rosa. Nestas novas coleções infantis, as crianças também podem ter dois pais ou duas mães - casais do mesmo sexo aparecem em vários livros -, ou ser filhos de mães solteiras.
E você, o que acha deste tipo de literatura infantil? As editoras suecas estão certas de tentar mostrar conceitos mais liberais de família e identidade às crianças? Ou deveriam se ater aos modelos mais tradicionais em seus livros infantis?