segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Dedicatória (1), Luciano Maia

Aos Cantadores

Aos poetas duendes do Sertão
reinventores mágicos da lenda
mestre Vitalino
recontada nas noites de clarão
(barco-viola aos remos da contenda
seguindo a correnteza do refrão)
na torrente da rima, em cuja senda
desliza o meu poema de alma andeja
neste rio de verve sertaneja.


Aos Retirantes

Dedico o meu poema a este povo
peregrino habitante dos caminhos
que depois de morrer nasce de novo
ressurgido das sombras, dos espinhos.
Dedico este meu canto em que não louvo
o sem-rumo dos rastros ribeirinhos
mas a força telúrica do rio
e a sangria assassina denuncio.

Imagem retirantes: Cristina turma 413

In: MAIA, Luciano, Jaguaribe Memória das Águas, SCJCC e Governo do Estado de Ceará , 2007.
Leia também: Dedicatória 2