segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Segunda-feira poética: Álbum de Família, Renato Teixeira



Álbum de família
Vejo a vida e me espanto                                         Pois não compreendo
Por que ela correu tanto

Na manhã da vida
De alma ensolarada
Tudo era um querer
De querer tudo
E sem querer não querer nada

Triste do retrato
Que saudoso rememora
Minha ingênua farda
De soldado da escola

Hoje já não tem
Aquele mesmo resplendor
Pois passou o tempo
E ele também perdeu a cor

A doce lembrança
Que me invade sem receio
Ouço a gritaria
Da hora do recreio

As meninas anjos
A trocar as suas prendas
Um beijo no zé gordo
Entretido com a merenda

Ana sabe tudo
Era minha namorada
E eu por minha vez
Era perito em saber nada

Dura tabuada
Com seu conto em cada enredo
Nela eu aprendi
Como se faz corda nos dedos

Nove vezes novembro
Quase que me bota oco
E hoje o resultado
Deus no céu vale tão pouco

Nada mais existe
Do menino aprendiz
Que levou a sério
O que todo mundo diz

Desbotou com o retrato
Aquela alma ensolarada
Tudo que é querer se foi
Ficou o querer nada
Ficou o querer nada


Lançado no formato LP em 1971 e novamente em 1978, alguns anos depois lançado também em CD. Em qualquer dos formatos só pode ser encontrado em sebos ou colecionadores.

Visite  a página oficial de Renato Teixeira

Imagem:www.concertosastra-finamax.com.br