sexta-feira, 2 de setembro de 2016

História bonita (10): Dona Magdalena entrou na faculdade aos 80 anos.


                                                     
 
                                          “ Minha mãe é minha grande inspiração. Com sua obstinação, resiliência e alegria de viver, ela me ensinou que eu também poderia ter essas qualidades. A discriminação que ela enfrentou por ser uma mulher divorciada se tornou sabedoria, que ela compartilhou comigo quando enfrentei preconceitos por ser mulher e querer faculdade de engenharia. Depois que me formei, a força de minha mãe foi o que me deu coragem para ser a primeira mulher engenheira no meu local de trabalho. 
     Tivemos muitos episódios de superação juntas. Um dos momentos mais marcantes das nossas vidas aconteceu quando ela decidiu entrar na faculdade de Direito... aos 80 anos! 
     A paixão e a vontade de aprender eram tão grandes que, mesmo quando ela lesionou o nervo ciático e precisou usar cadeira de rodas durante meses, continuou indo às aulas. Ela se formou em dezembro de 2014 e, hoje, enquanto estudava para o exame da Ordem dos Advogados do Brasil, aconselha vizinhos e familiares em questões legais. 
     É saudável, feliz, independente, e me mostra que eu nunca terei motivos para olhar negativamente para a vida. 
     Um tempo atrás, a presenteei com uma plaquinha que diz: “ A vida começa aos 100”. Para mim, essa frase resume perfeitamente o espírito leve de minha mãe. ” 
Para quem quiser seguir o exemplo de Dona Magdalena a revista Todos informa que a USP e a UFRJ oferecem cursos específicos para a terceira idade. Ainda de acordo com a revista, pelo site www.veduca.com.br pode-se fazer cursos gratuitos e sem sair de casa. Vale conferir e vale muito a pena ocupar produtivamente o nosso tempo

 "A obstinação de minha mãe me deu força para ser a primeira mulher engenheira no meu local de trabalho." Cilene Letícia Jaime, 63 anos, de Brasília, aprendeu com sua mãe que juventude não tem idade: Maria Magdalena Vaz,86 anos, formou-se recentemente em Direito.

Fonte: Revista Todos, Ed. Agosto/setembro 2016.