terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Natal, Mauro Mota

Árvore de natal, Pça do Derby, Recife.Imagem:Regina Porto


Natal, antes e agora

Imutável. Feliz

Noite branca sem hora

No pátio da matriz.



Natal: os mesmos sinos

De repiques iguais.

Brinquedos e meninos.

Natal de outros natais.



A Banda, vozes, passos

De multidão fiel.

Tudo nos seus espaços,

O mundo e o carrossel.



Tudo, menos o andejo

homem que se conclui.

Olho-me, e não me vejo,

Não sei para onde fui.



Itinerário, Mauro Mota,1975