Pular para o conteúdo principal

Pé de Livros - Vamos ajudar?


O Que é?

                        Janete Barros é uma leitora voraz e consciente da importância dos livros para as crianças. Mãe de João, um garoto que como ela e as traças lê como quem bebe água, Janete fez para o filho um Pé de Livros. 
Pendurou diversos exemplares de livros infantis (diversas idades) e deixou pra que seu filho e amiguinhos lesses o que como e quantos quisesse. Agradou à criançada.  A cearense empreendedora, transformou a iniciativa em projeto e,com recursos próprios, organizou farto material para levar a outras crianças e lugares o Pé de Livros.  Requisitada devido à aceitação, já não  tem mais condição de atender à demanda sem um transporte próprio.   Pé de Livros, precisa de um fusca adesivado.   
     O Blog LivroErrante convida a quem gosta de ler, de ajudar, e entende a importância da leitura para as crianças a participar de campanha visando motorizar o Pé de Livros.  A campanha, é explicada a seguir:
 
FUSCA DO PÉ DE LIVROS 
O fusca adesivado do "Pé de Livros" é um sonho que acalanto desde que iniciei o projeto itinerante de leitura "Pé de Livros". 
A ideia da VAKINHA surgiu agora... 
O valor seria $1,00 mas o site que administra a Vakinha estabelece o valor mínimo de $ 5,00. E todo o valor arrecadado até o dia 30/06/2014 ficará visível para todos juntamente com a prestação de contas. 

Assim também como qualquer informação a respeito da 'Vakinha', que tem o valor limite pré-estabelecido. No caso, o teto de $ 6.000,00 (seis mil), para aquisição de um fusca bacana e adesivado. Creio que é o valor que necessito para a compra e gastos com documentação e tudo mais.
O "Pé de Livros" acontece exatamente em qualquer lugar onde tenha árvores... E por que não tomar conta das praças? A receptividade é intensa e firme.
Ganhar as praças, parques públicos... chegar de mansinho e se instalar. Meu sonho! E se fecho os olhos, não vejo outra coisa, senão um charmoso fusca com letras coloridas, anunciando num barulho tão próprio, o amor gigante pela leitura.
E segundo Castro Alves...

"A praça! A praça é do povo 
Como o céu é do condor."
E ainda...

"Bendito o que semeia 
Livros? livros à mão cheia? 
E manda o povo pensar! 
O livro caindo n?alma 
É germe ? que faz a palma, 
É chuva ? que faz o mar."


Conheça Pé de Livros no Facebook.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Formiga Boa, Monteiro Lobato

Houve uma jovem cigarra que tinha de chiar ao pé do formigueiro. Só parava quando cansadinha; e seu divertimento então era observar as formigas na eterna faina de abastecer as tulhas.      Mas o tempo passou e vieram as chuvas. Os animais todos, arrepiados passavam o dia cochilando nas tocas.      A pobre cigarra, sem abrigo em seu galhinho seco e metida em apuros, deliberou socorrer-se de alguém. Manquitolando, com uma asa a arrastar, lá se foi para o formigueiro. Bateu - tic tic-tic...      Aparece uma formiga friorenta embrulhada num xalinho de paina.      - Que quer? - perguntou, examinando a triste mendiga suja de lama e a tossir.      - Venho em busca de agasalho. O mau tempo não cessa e eu vivo ao relento.      A formiga olhou-a de alto a baixo.      - E que fez durante o bom tempo, que não construiu uma casa?

Era uma vez...Adivinha adivinhão, Luis da Câmara Cascudo

Era uma vez um homem muito sabido, mas infeliz nos negócios. Já estava ficando velho e continuava pobre como Jó. Pensou muito em melhorar sua vida e resolveu sair pelo mundo dizendo-se adivinhão. Dito e feito. arrumou uma trouxa com a roupa e largou-se.      Depois de muito andar, chegou ao palácio de um rei e pediu licença para dormir. Quando estava jantando, o rei lhe disse que o palácio estava cheio de ladrões astuciosos. Vai o homem e se oferece para descobrir tudo, ficando um mês naquela beleza. O rei aceitou.

Vinicius de Moraes e Cecília Meirelles

Esta segunda-feira vem com dois poemas, para ajudar a esclarecer uma confusão feita por alguns internautas, quando Ladyce West publicou no seu blog, Peregrina Cultural, o poema As Borboletas de Vinicius de Moraes.  Em alguns sites e até em livros didáticos a autoria é  dada a Cecília Meirelles.  O blogueira Ladyce está absolutamente certa. O poema é de Vinicius de Moraes e na postagem consta a referência.   Vamos aprender, então?