segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Descobrindo Olegário Mariano (2) O Declínio das Louras

Para quem não leu outras postagens, repito que a Ed.José Olympio condensou em dois volumes: Toda Uma Vida de Poesia  1 e 2 , toda a obra de Olegário Mariano.   O poeta, também foi compositor e teve parcerias com Joubert de Carvalho. Hoje apresento João da Avenida.
Foi com esse pseudônimo que em 1933 Olegário Mariano lançou Vida, Caixa de Brinquedos, um livro de crônicas em versos   de onde trago os que se seguem.




O Declínio Das Louras

Por serem mais românticas e belas
De linhas mais sensuais e duradouras,
Entre viuvas, casadas, e donzelas
Prefiro sempre as raparigas louras.
 
Porque nas atitudes mais singelas
São silenciosas e perturbadoras.
E a gente sente que é por causa delas
Que o sol loureja as searas e as lavouras.


Em Hollywood porem, na hora presente,
Andam as louras desaparecidas
De cabelos mudados de repente.

Será que a moda já não vale nada
Ou quem sabe se a lei contra as bebidas
Proibe a venda de água oxigenada?

Nota: o blog manteve a grafia original