terça-feira, 10 de julho de 2012

Agradável surpresa:A Lua Vem da Ásia. Campos de Carvalho



                    Um livro surpreendente porque afasta-se completamente do regionalismo que tomou conta do país desde os anos 50 quando foi lançado e inaugura um nonsense nunca imitado.  O autor, logo no início do livro  dá mostra do que narrará: 
Aos 16 anos matei meu professor de lógica, invocando legítima defesa. E que defesa seria mais legítima?”. Sim, o que seria mais legítimo do que, morto o professor de lógica, morta a lógica, abrir caminho para a imaginação? 
                  A Lua Vem da Ásia,  prende o leitor no hotel de luxo que também pode ser um campo de concentração ou hospício. É escrito de tal forma que a gente obrigatoriamente perde a noção de tempo e lugar junto com o personagem central. Astrogildo que já se chamou Heitor,Adilson e Ruy Barbo  está sempre nu, e às vezes literalmente. Conhece muita gente importante provavelmente  vezes de verdade e viaja muito frequentemente sem sair do lugar ou a partir de uma bebedeira.  Aconselho a leitura sem compromisso com qualquer ideia, afinal até os capítulos estão (des) organizados assim: Capítulo primeiro, Capítulo 18; capítulo doze; Sem capítulo...  

Campos de Carvalho foi colaborador do Pasquim. Seus livros:

Banda Forra (1941)
Tribo (1954)
O Púcaro Búlgaro (1964)  todos foram reeditados em  1995 pela Ed. José Olympio em Obras Reunidas.