quinta-feira, 9 de junho de 2011

A criança e o adolescente brasileiros estão lendo mais.

A criança e o adolescente brasileiros estão lendo mais.

     Segundo informa a Câmara Brasileira do Livro, as vendas de livro infanto-juvenis cresceram 9,6% em relação ao ano anterior. Ednilson Xavier, presidente da Associação Nacional de Livrarias informou que crianças e adolescentes são responsáveis por 15% do faturamento das lojas .Estas informações foram dadas ontem, dia 08.06 durante o 2º Encontro Nacional do Varejo do Livro Infantil e Juvenil, realizado dentro do 13ª Salão Nacional do Livro Infantil e Juvenil, no Rio de Janeiro.

     A Câmara Brasileira do Livro diz ,ainda, que aproximadamente 2,5 mil livros do total de 12.000 novos títulos lançados em 2010, foram de literatura para crianças e adolescentes. O que ratifica o que diz a diretora da fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, Ísis Valéria Gomes, para quem a maior produção é resultado do maior interesse desse público.
     Outro dado que deixa este blog feliz é o de que é das crianças e adolescentes a liderança no ranking de crescimento de leitura.
      Recebi de minha filha a matéria de jornal, de onde estou dando essas informações. Ela é uma das que sabe o quanto valorizo a leitura, o quanto insisto em dizer que não adiante incentivar leitura entre adultos porque o adulto não lê se não foi criança leitora.
Frequentemente me declaro desesperaçada com relação à possibilidade de ver boas práticas sociais e me baseio no fato de ver no dia a dia uma quantidade absurda de jovens e adultos analfabetos funcionais. Sim. dentro da sala de aula de universidade pública, um número grande de aprovados em vestibular que não consegue se expressar falando e menos ainda escrevendo.
     E o que esperar de cidadania de quem lê mal, escreve pior, não entende o que lê e nem se faz compreendido quando escreve?
      Notícia como esta,  publicada aqui pelo Diário de Pernambuco, é um alívio! Me faz crer que a geração de meus netos conseguirá se impor pela qualidade e não pela grosseria e falta de educação. 
     A população que hoje reina  vazia de conteúdo nas salas de aula, nos cinemas, bares, restaurantes e vias públicas talvez seja a última mostra da falta que faz um livro. Os próximos jovens, bons leitores atuais,serão menos violentos, sofrerão menos violentos, serão melhores estudantes, também melhores professores. Saberão pensar, enfim.