domingo, 7 de novembro de 2010

Lua Adversa,Cecília Meirelles (1901)

Hoje, a carioca Cecília Meirelles, faria 109 anos.  Várias cidades brasileiras , Lisboa e Ponta Delgada (cap. de Açores), a ela dedicaram escolas públicas, bibliotecas, ruas e avenidas. Fagner musicou e canta seu poema Motivo. E o blog a ela dedica este domingo.

LUA ADVERSA
Cecília Meireles



Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha

Fases que vão e vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Veja outros poemas de Cecília Meireles: aqui, aqui  ah, tem aqui também.