domingo, 27 de setembro de 2009

Valença RJ a cidade da leitura - junte-se a essa idéia

Empresários de Valença participam de projeto de biblioteca de livre acesso.
Tatiana Mattos  - Estado do Rio
26/09/2009 10:15

Valença vem mobilizando a população a participar do projeto "Livro sem fronteiras". Por meio da iniciativa, a população local poderá pegar livros em uma biblioteca localizada na praça. Não haverá qualquer tipo de cadastro ou controle. A proposta é que os moradores tenham consciência e criem a dinâmica de troca e manutenção das obras.

Alternativa de marketing

A ideia começou como uma alternativa de marketing de um empresário da cidade, Fernando Monção, que, para testar a visibilidade do cardápio de sua loja, colocou uma mensagem com letras pequenas na última página do menu. Os dizeres pediam que as pessoas participassem da doação de livros que sua empresa estava promovendo. "Se as pessoas lessem aquela mensagem é porque haviam lido o cardápio inteiro". Fernando não tinha planos para os livros, inicialmente, mas as doações foram tantas que ele passou a pesquisar ideias de tornar as publicações úteis para a população.

Fernando, então, entrou em contato com Regina Porto Valença, que já tinha uma proposta de "livro errante", em que as publicações são deixadas em locais públicos para livre acesso dos interessados. Entretanto, em conversa com o arquiteto Germano Brito, ele percebeu que seria inviável deixar as 400 obras que, então, não teriam qualquer proteção contra mudanças climáticas. Foi assim que o projeto arquitetônico da biblioteca surgiu e, a partir daí, as doações cresceram ainda mais.

Acervo atual

Atualmente, o projeto conta com 5.800 obras, que serão todas encadernadas de forma padrão, terão textos explicativos e levarão as marcas dos patrocinadores. Segundo Fernando Monção, que incentivou os moradores de Valença a registrarem o município como "a cidade da leitura", a ideia tem três regras básicas. "Primeiramente, o projeto é de todos. Segundo, não se pode vender nada dentro do local. Por último, a agenda de enventos culturais organizados pelos envolvidos no projeto será organizada, para evitar acúmulo de atividades em um mesmo dia", explicou.

(destaques feitos  pelo blog)