segunda-feira, 3 de julho de 2017

Segunda-feira poética: A Cidade, Tahar Ben Jelloun

Rabat- Marrocos
Não é suficiente um amontoado de casas para fazer uma cidade
É preciso rostos e cerejas
Andorinhas azuis e dançarinas delicadas
Uma tela e imagens que contem histórias
Como ruína apenas um céu mastigado por nuvens
Uma avenida e águias pintadas sobre as árvores
Pedras e estátuas que dissipem a luz
E um circo que perde seus músicos
Joalheiros retêm a primavera em suas mãos de cristal
Sobre o solo pegadas de um tempo sem crueldade
Uma camada e sílabas depositadas pelo suco de uma romã
É o sol que se entedia e homens que bebem
Uma cidade é um enigma iludido pelos espelhos
Jardins de papel e fontes de água sem alma
Somente as mulheres românticas o sabem
Elas se vestem de luz e de sonho
Metálica e altiva
A cidade sacode a memória
E dela caem livros e sarcasmos, rumores e risos
E nós a atravessamos como se fôssemos eternos.


Paris, 11 de novembro de 2005 -


Tradução: Pedro Braga
Fonte: Associação Nacional dos Escritores 
Imagem: cidades em fotos