segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Velho Poema Infantil

Na minha infância, todas as crianças tinham cadernos escolares com a mesma capa. Era o tempo da escola primária a cidade era São Bento do Una,o livro adotado se chamava Nordeste, tinha gravuras de Percy Lau e essa  poesia singela: 

Meu Doce Lar

Máximo de Moura Santos.
Imagem do Facebook


Oh! meu querido
Sempre florido
Meu doce lar.
É uma casinha
Que está sozinha
Junto do mar.

Quando é bem cedo,
Pelo arvoredo
Que fica além,
mansa desliza
Suave brisa
que vai e vem.

O sol vem vindo
Então sorrindo
Corro ao pomar,
E satisfeito
Encho meu peito
De puro ar.

No quintalzinho
Meu papaizinho
Já está de pé,
E mamãezinha
Lá na cozinha
Faz o café

Disposta a mesa
Oh! que beleza!
Meditem só,
Neste deleite
Café com leite
E pão-de-ló.

É todo dia
Ai que alegria
No meu pomar,
Oh como é belo
O meu singelo
Meu doce lar.