domingo, 7 de fevereiro de 2016

Lendo Mulheres: Diane Di Prima



Ano passado soube da campanha Leia Mulheres  e me dei ao trabalho de verificar  a quantidade de autoras que eu tinha lido:  foram apenas 8, de uma pilha de 33.  

Decidi por dar mais atenção à leitura de livros escritos por mulheres e, para isso, anotei algumas sugestões.  

Bem, começo agora, meu primeiro livro. A autora é Diane Di Prima, uma escritora americana de 81 anos que eu não conheço.

"O que será que aconteceu com todos aqueles beatniks?", refletiu a loira, aluna do primeiro ano, que me levava de volt a São Francisco após a sessão de leitura que fiz na Berkeley ano passado.

Bom, querida, alguns de nós venderam tudo e viraram hippies. Outros conseguiram preservar a integridade, aceitando subvenções do governo ou escrevendo romances pornográficos. John Wieners está louco e foi internado em Buffalo; Fred Herko pulou de uma janela; Gary Snyder é um monge zen. Tem de tudo. Ou, como minha filha de onze anos  me disse recentemente, lembrando-se do início de sua infância:

"Tenho muita saudade daqueles tempos. Eram difíceis, mas eram lindos."

As coisas agora estão mais para bonitinhas. Uma Nova Era, com um pouco de gordura pós-parto ainda aparecendo. 
                                                                                                      
 Fique ligada,

Diane Di Prima

Maio de 1969

Nota da Autora, 
Di Prima, Diane
In: Memórias de uma Beatnik, Diane di Prima, tradução Ludmila Hashimoto - 1ª ed
São Paulo, Ed.Campos, 2013