segunda-feira, 25 de maio de 2015

Segunda-feira poética: Walt Whitman


Folhas de Relva


Arranquem os trincos das portas!
Arranquem as próprias portas dos batentes!

Nada de pegar coisas de segunda ou de terceira mão... nem de ver através dos olhos dos mortos... nem se alimentar dos espectros nos livros

Vadio uma jornada perpétua

Tudo segue e segue sem parar... nada se colapsa,
E morrer é diferente do que se imagina, bem mais afortunado.

Se ninguém mais no mundo está ciente, fico contente,
E se cada um e todos estão cientes, fico contente.

Me entrego à terra pra crescer da relva que amo,
Se me quiser de novo me procure sob a sola de suas botas.

Vai ser difícil você saber quem sou ou o que estou querendo dizer,
Mas mesmo assim vou dar saúde,
Vou filtrar e dar fibra a seu sangue.

Não me cruzando na primeira não desista,
Não me vendo num lugar, procure em outro,
Em algum lugar eu paro e espero você.

 

Trecho de “Canção de Mim Mesmo
Ed.Martim Claret – escrito em 1855