quinta-feira, 23 de abril de 2015

Dragão, Livro e Rosas.

                     Aprendi com minha irmã que aprendeu na aula de espanhol  e trago para cá, dizendo que gostaria de conhecer a Catalunha nessa época do ano.  
                   
                
Era uma vez um dragão que aterrorizava a todos numa aldeia da Espanha há muitos e muitos anos passados. Para acalmar a fúria do animal, a ele era oferecida uma donzela por dia.
                Num determinado momento já não havia mais nenhuma donzela a não ser a filha do rei. E ela foi oferecida ao dragão (ooooohhh). Acontece que um jovem cavaleiro era apaixonado por ela e resolveu lutar contra o dragão e ganhou a luta.  
               Era inverno e toda a neve do local da luta ficou tingido com o vermelho do sangue do dragão.  Mas quando a filha do rei - que como tem de ser em toda lenda, devia ser linda - olhou para ao redor, onde antes havia sangue, cresceram rosas e mais rosas.                
                Este dia, 23 de abril passou a ser o dia das rosas.  Muitos anos depois à festa das rosas foi acrescentado o livro. Nas comemorações, então, as mulheres oferecem livros e os homens oferecem rosas. 
              
  E por que? Ora, porque é a data da morte de Miguel de Cervantes, Shakespeare e de Inca Garcilaso de La Vega que era um escritor peruano. Acabei de aprender.