quarta-feira, 1 de abril de 2015

A Estalagem Encantada, Austro Costa

Meu peito (quem diria?)
é a misteriosa estalagem
onde,me meio à certa viagem,
repousou tua alegria.

Pernoitaste. E, ao vir do Dia,
à luz do Sol na Paisagem,
nem sombra de tua imagem
na alcova, triste e vazia.

Em teu lugar - uma harpia!-
Mas... um rodar de carruagem
vem da estrada à hospedaria.

Saio a ver quem é. E um pagem
tua chegada anuncia.
Era encantada a estalagem

(Em: Mulheres e rosas,Vida e sonho,De monóculo, Austro Costa. 2ª edição revista- Recife: Cepe, 2012)

Nota: o autor da coletânea, Fábio Cavalcante de Andrade, manteve a ortografia original.