quinta-feira, 15 de maio de 2014

A Megera Domada em cordel.

Meus amigos, agora
Eu devo me despedir
Graças à sua atenção,
Em frente posso seguir,
Riscando do meu caderno
A palavra desistir

Desanimar é bobagem,
O Petrúquio é uma prova
Mesmo quando a circunstância
A sua ideia reprova,
Desistindo não se chega
A uma consciência nova

                 
 Shakespeare, o autor mais adaptado no mundo, jamais imaginou que seu Petrucchio estivesse num cordel, nem que viesse a falar português numa novela da Globo.  Boa parte de quem viu Du Moscovis em O Cravo e a Rosa, por sua vez, não sabe que assistiu a uma adaptação de uma história escrita há 400 anos!! Muitos jovens não leram os créditos depois de assistirem ao filme Dez Coisas que Odeio em Você. Teriam visto, se lessem, que tratava-se de uma adaptação teen de A Megera Domada de Shakespeare. O que mudaria para os teens e para os espectadores da Globo  se soubessem a autoria da história original?  Procurariam mais do autor, provavelmente. Mas, será que buscariam o original ou as formas mais simples de fácil entendimento, com linguagem atualizada?  Acredito, quase tenho certeza, de que buscariam  linguagens e formatos mais atualizados, de fácil compreensão.  Estou falando  de A Megera Domada, adaptação para o cordel, feita por Marco Haurélio. Lí e recomendo.   Este livro vai ser enviado para João Neto em Fortaleza, vamos ver o que ele diz a respeito.