quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Fliporto:Meu primeiro dia

                   
Estou numa pousadinha super simpática e bem próxima à Praça do Carmo, onde acontece a Fliporto. Fizemos reserva, eu e minha irmã, desde junho. No mês seguinte, eu soube, já não tinha mais vaga. Tem um grupo de conhecidas que veio de outros estados que estão perto e do outro lado da praça. Passei por dentro da Feira de Livros e quem vejo passeando pelo corredor principal?  Valter hugo Mãe, o fofo e talentoso escritor angolano de quem gosto pra caramba. Arrisquei e ele calmo e gentilíssimo, se deixou fotografar. Encontrei com as amigas da outra pousada  quando estava retirando os ingressos para ver Pilar Del Rio, que foi antecedida por Literatrupe, conforme anunciai aqui ontem.  Foi um encontro feliz com a Ju, gravidinha e a Rosa de Goiânia, com seu sorriso aumentativo e cabelos diminutivos.  A Helena, de Niterói, que eu não sabia que vinha, eu vi quando já estava tudo escuro e ela ficou comigo até quase o final.  

Literatrupe é um grupo de atores e músicos que com uma miscelânea de textos de poetas pernambucanos, um bom violino e dois pandeiros  fez uma performance muito inteligente.  Foram enormemente  prejudicados pelo som. Os microfones não funcionavam bem, falhavam, até.  Superaram-se pelo talento.  

A segunda parte foi feita por Hugo Mãe que juntamente com uma escritora brasileira, que infelizmente esqueci o nome trouxe a biografia de José Saramago, logo depois entra a atração principal: Pilar Del Rio. Ela ela e o apresentador falam sobre o escritor, apenas lendo trechos dele mesmo. Foi Saramago falando de si usando a voz da Pilar.  
Aqui, novamente a organização prejudicou o expectador: os fones para tradução simultânea não funcionavam, o microfone de Pilar estava muito ruim...
Agora vou dormir, estou cansada.  Volto amanhã.