domingo, 28 de julho de 2013

Crônica cantada: Salve-se Quem Puder



Salve-se Quem Puder

Dominguinhos e Fausto Nilo

A gente faz o amor
Só não desfaz o rancor
Não chore se eu disser
Você não quis quando eu quis
Agora quer ser feliz
Do jeito que o diabo quer

Eu já cansei de esperar
Olhando o tempo passar
Não quero mais sofrer
Agora já é depois
Sorrimos juntos nós dois
Podemos esquecer

Indecisão nunca mais
O tempo não satisfaz
A quem não sabe o que quer
Você foi tudo, meu Deus
Mas seu demônio sou eu

E salve-se quem puder