segunda-feira, 20 de maio de 2013

Príncipes da Poesia - final - Paulo Bomfim

Este blog explicou a razão da denominação "príncipe dos poetas".  Copiei parte da primeira postagem explicativa e encerro a série com Paulo Bomfim o 6° e atual príncipe brasileiro.

  Famosa revista carioca do início do século passado, a Fon Fon, numa iniciativa inteligente, fez votação entre os intelectuais da época para escolher quem seria o príncipe da poesia brasileira.
Era o ano de 1907 e o eleito foi Olavo Bilac. Quase duas décadas depois, em 1924 a mesma FonFon, repete a eleição e o novo príncipe é o paulista Alberto de Oliveira em seguida a revista escolhe Olegário Mariano, em 1938. A revista FonFon saiu de circulação em 1958. Olegário Mariano teria sido o último príncipe dos poetas se, nesse mesmo ano, o jornal carioca Correio da Manhã, não tivesse dado continuação à iniciativa da revista.
Guilherme de Almeida, foi eleito pelo jornal o quarto príncipe dos poetas brasileiros. 24 anos depois, em 1982,ainda o Correio da Manhã, escolhe Menotti Del Picchia. Já sem o Correio da Manhã é a vez da Revista Brasília eleger o sexto poeta do principado e o título em 1991 é dado a Paulo Bonfim, com quem está até hoje. ( LivroErrante, 12.11.2012)



Se Me Perdi

Em vícios de encantação
As realidades virtuais
Despetalaram velames
Nas amuradas do cais.

Foram dias, foram noites
Onde de mim me perdi,
Houve luxúria de opalas
E cilícios de rubi. 

Fui caminhando esquecido
No bojo de meus enigmas,
E as ametistas floriram
Na ramagem dos estigmas. 

Se me perdi foi apenas
Motivo de me encontrar,
No vôo de tantas penas,
Meu silêncio e a voz do mar.

*
*
 
Algumas obras do autor:
 

(Fontes: Wikipedia, Google, Página do autor e Livraria Cultura)