sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Elisa, a irmã Lispector


Quando emigrou da Ucrânia para o Brasil em 1920, com 9 anos de idade, Leia teve o nome alterado para Elisa. Aos 14 anos, veio morar no Recife, onde permaneceu por uma década. Mas somente aos 34 anos, já no Rio de Janeiro, a escritora começou a publicação de seus sete romances e três livros de contos. A biografia e a obra de Elisa até hoje são pouco estudadas e despertam interesse quase nulo por parte do público leitor. Situação considerada injusta por pesquisadores. A hipótese mais provável para o ostracismo é a força do sobrenome: Lispector. (Fellipe Torres para o Diário de Pernambuco).


      O  Diário de Pernambuco do Recife trouxe matéria sobre Elisa, a Lispector mais velha que foi ofuscada por Clarice, mas que tem brilho próprio.  Livroerrante touxe, ainda em 2010, um conto de Elisa Lispector,  extraido de seu livro Inventário. No ano seguinte o LivroErrante noticiou Livro Novo No Pedaço  que é o livro onde Elisa Lispector fala da família desde a vinda da Ucrânia.  Retratos Antigos tem a história dos Lispector contada pela irmã mais velha de Clarice Lispector.
Conforme disse o jornalista Fellipe Torres no Diário de Pernambuco, Elisa Lispector tem obra pouco estudada, por isso deixo aqui a indicação mais confiável para quem quiser conhecer essa escritora de inegável talento: Instituto Moreira Sales.

Obras de Elisa Lispector 

Romances:
Além da Fronteira (1945)
No Exílio(1948)
Muro de Pedras (1963)-prêmio José Lins do Rego e Coelho Neto, pela A.B.L
Ronda Solitária (1954)
A Última Porta (1975) 
Corpo-a-Corpo (1983)

Coletânea de contos:
Sangue No sol (1970)
O Inventário (1977)
Tigre de Bengala (1985)

Os livros acima mencionados só podem ser encontrados me sebos ou bibliotecas, à exceção de No Exílio que foi reeditado em 2005.

Seu último livro Retratos Antigos, é um trabalho realizado por Nádia Batllela Gothib, da UFMG. Elisa Lispector faleceu em 1989, aos 78 anos no Rio de Janeiro.