terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011: Poemas que mais gostei de publicar

É grande a oferta de poemas. Não faltam talentos no Brasil. Mesmo fora do grupo dos já tão merecidamente famosos, são muitas as possibilidades.Em 2011 alguns poemas foram postados também por outras razões que não só pela beleza que  neles encontrei.  Quais foram?

Capibaribe, de Olegário Mariano
A todas as pessoas dessa cidade o Rio Capibaribe encanta e, como fez comigo, chama para que se adote o Recife como terra natal. Não me canso de fotografá-lo e a imagem usada para este poema é de minha autoria.  Outra razão para postar Capibaribe foi acrescentar mais um poema de Olegário Mariano ao acervo do Google, que tem pouca coisa do autor.

Acender a Luz, Laércio lins
É o segundo poema deste autor no blog LivroErrante. Acender a Luz foi postado porque é diferente e instigante. Laércio Lins é professor e palestrante universitário de Pernambuco.
A Ternura, Álvaro Pacheco
Além da beleza do poema que é terno por si e abrangente, me chamou a atenção o foco no envelhecer. A ternura sempre foi algo que me cativou e meu próprio envelhecimento me fez  valorizar o sentimento.
Saiba mais sobre o autor clicando aqui.
No Caminho com Maiakóvski, Eduardo Alves da Costa
Gosto muito desse poema e isso desde que o conheci truncado, através de mensagens que a gente recebe aos montes por email.  Todas pedindo para enviar a  nossos amigos. Jamais enviei. Não sem antes procurar exaustivamente o poema completo e descobrir que não é do escritor russo. Assim, com o belo poema em mãos, achei por bem divulgá-lo corretamente e com seu verdadeiro autor. É
Eduardo Alves da Costa quem alerta para a necessidade de se tomar  as rédeas da própria vida.
Estranhas Aventuras, Mário Quintana
Comove, instiga, alegra...  Mario Quintana, passarinha. Não carece de explicação 
Último Abraço, Antônio Marinho Nascimento
Este poema me deu perplexidade.  Vale conferir e ler também sobre o jovem poeta.