quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011: a blogueira esqueceu (3):Velhinho, mas sucesso até hoje


Capa da primeira edição.
           AO VERME

             QUE

 PRIMEIRO ROEU AS FRIAS CARNES

        DO MEU CADÁVER

            DEDICO

    COMO SAUDOSA LEMBRANÇA

            ESTAS

        MEMÓRIAS PÓSTUMAS



                           Ao Leitor

       Que, no alto do principal de seus livros, confessasse Stendhal havê‑lo escrito para cem leitores, coisa é que admira e consterna. O que não admira, nem provavelmente consternará é se este outro livro não tiver os cem leitores de Stendhal, nem cinqüenta, nem vinte, e quando muito, dez, Dez? Talvez cinco. Trata‑se, na verdade, de uma obra difusa, na qual eu, Brás Cubas, se adotei a forma livre de um Stern de um Lamb ou e um de Maistre, não sei se lhe meti algumas rabugens de pessimismo. Pode ser. Obra de finado. Escrevia‑a com a pena da galhofa e a tinta da melancolia; e não é difícil antever o que poderá sair desse conúbio. Acresce que a gente grave achará no livro umas aparências de puro romance, ao passo que a gente frívola não achará nele o seu romance usual; e ei-lo aí fica privado da estima dos graves e do amor dos frívolos,que são as duas colunas máximas da opinião.
   Mas eu ainda espero angariar as simpatias da opinião, e o meio eficaz para isto é fugir a um prólogo explícito e longo. O melhor prólogo é o que contém menos coisas, ou o que as diz de um jeito obscuro e truncado. Conseguintemente, evito contar o processo extraordinário que empreguei na composição destas Memórias, trabalhadas cá no outro mundo. Seria curioso, mas nimiamente extenso, e aliás desnecessário ao entendimento da obra. A obra em si mesma é tudo: se te agradar, fino leitor, pago‑me da tarefa; se te não agradar, pago‑te com um piparote, e adeus.

                                                     Brás Cubas
Bateu curiosidade?  Pois é.  Assim começa Memórias Póstumas de Bras Cubas, de Machado de Assis e que é sucesso ainda hoje 130 anos depois.

Para quem é cinéfilo:
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Direção e Produção:André  Klotzel
Elenco: Reginaldo Farias, Petrônio Gontijo, Viétia Rocha,Sônia Braga, Otávio Muller, Marcos Caruso, Stepan Nercesian,Débora Duboc, Walmor Chagas, Nilda Spencer.
Ano: 2000
Duração: 102 min.
Prêmio Kikito de ouro para: melhor direção, melhor filme, melhor roteiro, melhor atriz coadjuvante (Sônia Braga) em Gramado 2001.


Leia mais em:
O queridinho de Woody Allen