sexta-feira, 22 de julho de 2011

Crônica cantada:Balada para Giorgio Armani - Zeca Baleiro





   



Balada para Giorgio Armani
Zeca Baleiro
Giorgio
Eu tive um sonho risonho e terno
Sonhei que eu era um anjo elegante no inferno
Giorgio
Eu sinto medo na longa estrada
O medo é a moda desta triste temporada
Giorgio
Tá tudo assim nem sei tá tão estranho
A cor dessa estação é cinza como o céu de estanho
Giorgio
Tá tudo assim nem sei tá tão estranho
A cor dessa estação é cinza como o céu de estanho
Quando um dia enfim findar
Este outono eterno
Quero que você me aqueça
Com a sua coleção de inverno Giorgio
Pobre de quem não tem
Será que eu estou bem
Na capa da revista