sábado, 13 de novembro de 2010

As Caçadas de Pedrinho: MEC x CNE

Não sabe o que está acontecendo?
clique aqui.
Atualização da polêmica sobre veto ao uso do livro As Caçadas de Pedrinho nas escolas


O Ministério da Educação informou nesta quinta-feira que devolveu ao Conselho Nacional de Educação (CNE) o parecer sobre o livro Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato, que classifica a obra como racista. Em nota, o CNE afirmou que irá rever o parecer, que pede que o livro não seja distribuído a alunos e professores da rede pública de ensino. A posição foi duramente criticada por entidades brasileiras.

"O CNE reafirma seu compromisso com a defesa da mais ampla liberdade de produção e de circulação de idéias, valores e obras como máxima expressão da diversidade e da pluralidade ideológica, estética e política no regime democrático vigente em nosso país”, diz o comunicado do Conselho. “Consequentemente, repudia e combate toda e qualquer forma de censura, discriminação, veto e segregação”, acrescenta


Polêmica - O parecer foi aprovado por unanimidade pelo CNE a partir de denúncia da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial. Publicado em 1933, o livro de Monteiro Lobato, um dos maiores nomes da literatura infantil brasileira, narra as aventuras da turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo em busca de uma onça-pintada. Segundo o CNE, os traços racistas da obra estariam na forma como o autor se refere à personagem Tia Anastácia, que é negra, e a alguns animais, como o urubu e macaco.
 De acordo com Nilma Lino Gomes, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e autora do parecer, o livro deve ser banido das escolas ou só poderá ser adotado caso a obra seja acompanhada de nota sobre os "estudos atuais e críticos que discutam a presença de estereótipos raciais na literatura".


(Matéria recortada da Revista Veja on line)