segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Segunda-feira poética: Richardson Nochelli



     








GULA

 Richardson Nochelli

Se soubesse o tamanho da minha fome
não se arriscaria servir-se de bandeja ao meu desejo.
Se entendesse o anseio ardente de ti que me corroe,
não deixaria sequer um dedo a mostra em minha presença.
Devoro-te!
Alimento-me de teus desejos, incorporando-os aos meus
e sou agora um amontoado de alucinações,
vive em mim como uma praga desejada,
como a peste convidada,
como a morte bem vinda.