domingo, 8 de agosto de 2010

Crônicas da MPB: Trem das Onze, Adoniran Barbosa

Inicio hoje uma série que vou chmar de: Cronicas da MPB, abro neste domingo com: Trem das Onze de Adoniran Barbosa. Sem fazer sucesso, a música foi gravada pelo  autor em 1951; Somente quando foi lançada no Rio  de Janeiro, pelo grupo paulista Demônios da Garoa é que tornou-se nacionalmente conhecida. Sucesso até hoje é uma crônica da vida da periferia da cidade de São Paulo.

Adoniran Barbosa, estação Jaçanã que não existe mais -
Imagem do  Google
Trem Das Onze

Adoniran Barbosa


Não posso ficar
Nem mais um minuto com você,
Sinto muito amor,
Mas não pode ser!


Moro em Jaçanã,
Se eu perder esse trem
Que sai agora às onze horas
Só amanhã de manhã!

Além disso mulher,
Tem outra coisa,
Minha mãe não dorme
Enquanto eu não chegar!

Sou filho único,
Tenho minha casa prá olhar,
Não posso ficar,
não posso ficar..