segunda-feira, 10 de maio de 2010

Agradável surpresa: O Colecionador de Sombras

O Colecionador de Sombras
João Batista Melo

Leio um livro seguido de outro como  fazem os  fumantes inveterados quando acendem o  segundo cigarro na bituca do primeiro.  Porém, de vez em  quando  me ocorre protelar o  começo do próximo para manter o  sabor do  anterior.  O Colecionador de Sombras, que vai ser postado de volta ao  dono  amanhã, está me impedindo de ler o próximo da fila. Deixou excelente impressão. João Batista Melo fala de carro  roubado, pai preso pela ditadura, assassinato, aquecimento  global, surpresas, decepções, pai divorciado descobrindo  a própria filha etc. Comum? sim. muito. Mas o  autor escreve os contos como quem  dança uma valsa. Elegantemente, encontrando ou colocando  poesia em  detalhes. E não  dá  para ler livro sem poesia. Encantou-me especialmente o  conto: As Sementes da Neve  que inicia em  Belo Horizonte, vai para o  Chile e volta. Comecem por ele, realidade e fantasia se misturam de forma tão lírica.  Recomendo o  livro. Quem da comunidade Livro Errante não  entrou na fila, não  sabe o  que está perdendo.

Caro João Batista: Gostei muito  de seu  livro, conforme falei  acima. Aprecio o fato de não  ter os finais explicitados. Mas, aqui  entre nós... o  que  você fez com os leitores em  relação  à caixa de sapatos vermelha, foi cruel. Não  foi?  mesmo  assim vai um  abraço. Regina


O Colecionador de Sombras
Ed.Record
Brochura com 191 páginas
R$28,00 (livraria da travessa)