segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Viciada, confesso.

Eu, Regina P. viciada... confesso. A frase termina em  viciada mesmo. Explico antes que  alguém me suponha drogada: sou  apenas viciada. Chocólatra com  longos períodos  sem cacau e viciada em  livros. Leio um na cola de outro tal  qual fumante inveterado que acende o  segundo na bituca do primeiro. Fumo livros, é isso. Não posso  ler notícia a respeito  que já fico querendo  conhecer aquele livro e ou  autor. Agora mesmo recebo de Letícia a notícia da morte, aos 75 anos,do autor argentino Tomás Eloy Martínez, veiculada na Folha de São Paulo. Arrepiei!! Não  conheço o autor. Pior, muito  pior: nunca ouvi  falar. Bateu sentimento  de ignorância. Não  sei  de onde tirei a ideia de que devo  conhecer todos os autores do mundo. Ok, pode rir. Faz parte do  vício.  Vou ao  site e encontro seus livros:
Purgatório:
Relato sobre a ansiedade de reencontrar um amor perdido e a possibilidade reconstruir a vida interrompida por um regime cruel. O escritor avança entre o real e o ilusório.

Bateu vontade?  Não? Pois em mim bateu curiosidade imensa.... entendeu enfim, meu  vício?

Se você já leu Purgatório, citado acima ou algum  dos que listo a seguir, diga o  que achou. Desconfio seriamente que vou terminar lendo, caso alguém faça boa recomendação  de algum.
Obras de Tomáz Eloy Martínez disponíveis no Brasil clique aqui