quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Irados em ação

A comunidade Livro errante, vai dedicar-se a incentivar a leitura junto a adolescentes. Através de nosso mais novo integrante Fagner, vamos ler livros com estudantes de uma esola pública do estado do Rio de Janeiro. Se você é autor ou dono de algum livro irado, faça contato com o blog.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Até quarta feira....


Último regresso

Getúlio Cavalcanti


Falam tanto que meu bloco está,
dando adeus pra nunca mais sair.
E depois que ele desfilar,
do seu povo vai se despedir.
Do regresso de não mais voltar,
suas pastoras vão pedir:
Não deixem não, que o bloco campeão,
guarde no peito a dor de não cantar.
Um bloco a mais é um sonho que se faz
o pastoril da vida singular.
É lindo ver ver o dia amanhecer,
ouvir ao longe pastorinhas mil,
dizendo bem, que o Recife tem,
o carnaval melhor do meu Brasil

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

This perfect day - Ira Levin


O livro de Ira Levin This Perfect Day,
está disponibilizado no tópico errantes livre da Regina, aguardando apenas mais um leitor para ser postado e iniciar trajeto.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Errantes livres - 1


Sete ótimas ofertas:
A doce canção de Caetana de Nélida Piñon
Às vésperas da copa de 1970 Caetana, a atriz mambembe, volta a Trindade para negociar com seu ex-amante,Polidoro, o financiamento da montagem de um espetáculo em A doce canção de Caetana. Guiada pelo sonho de viver uma das heroínas interpretadas por Maria Callas.Ao contrário da protagonista de Verdi, Caetana volta sem inocência com o objetivo de se vingar de seu destino. Ela tenta uma última chance para conseguir uma posição artística de sucesso e o reconhecimento de seu talento, ofuscado por seu passado de ex-amante de Polidoro.Nesse romance, a cortesã e a prostituta são contextualizadas em uma cidade pequena, Trindade, onde o patriarcalismo impera e deixa uma galeria de excluídos aoseu redor. Caetana, a atriz mambembe, depois de 20 anos, retorna para realizar umsonho, viver, no palco, a misteriosa voz de Maria Callas: “Vim para montar um espetáculo".
A Viagem de Théo- romance das religiões - Catherine Clément
Com um conhecimento profundo do tema, um admirável equilíbrio intelectual e uma viva imaginação narrativa, Catherine Clément nos faz viajar na companhia de Théo e Marthe - ele, um adolescente que vive enfiado nos livros e sofre de uma doença grave; ela, uma mulher cosmopolita que esbanja vitalidade. Juntos eles vão aos principais centros sagrados do mundo (a Bahia é um deles) e, enquanto visitam os templos e participam das festas rituais, oferecem ao leitor a certeza de que as religiões são uma das maiores aventuras que a humanidade já pôde sonhar.
A Casa Vazia - Rosamunde Pilcher
A escritora escocesa Rosamunde Pilcher, autora do best seller "O catador de conchas", apresenta a história de uma mulher que precisa tomar as rédeas de sua vida. Virgínia Keile casou-se com um homem rico e esnobe, totalmente controlado pela mãe autoritária. Após anos de casamento, ele morre em um acidente de carro. Ela retorna para a cidade em que morava em sua juventude. Uma nova fase começará e a Virgínia terá que lutar contra a sogra para obter a guarda de seus filhos. Para tanto, conta com o apoio de um amigo de adolescência.

O Perfume - Patrick Süskind
Em Paris, no ano de 1738, nasceu Jean Baptiste Grenouille. Filho de uma feirante, ele veio ao mundo em uma barraca de peixe na cidade mais suja e fedorenta do mundo ocidental no século XVII. Após a morte de sua mãe, sobrevive a doenças e pestes em diversos lares miseráveis. Contra todos os prognósticos, Grenouille acaba desenvolvendo duas características que mudariam sua vida: ao mesmo tempo que não tinha nenhum cheiro, ele era dotado de um olfato apuradíssimo. Este último talento permite que deixe para trás a pobreza para brilhar na indústria da perfumaria. Mas Grenouille, um personagem amoral, não ambiciona a fama ou a fortuna que sua habilidade poderia lhe proporcionar, mas um poder maior sobre os as pessoas, baseado na sedução dos odores sobre a alma humana. Assim, Grenouille dedica-se obsessivamente, e sem recuar diante do crime, à preparação de um perfume literalmente irresistível, que permitisse conquistar e dominar qualquer ser humano

As Menininhas e Outras Crônicas - Raquel de Queiroz
Eu Receberia as Piores dos Seus Lindos Lábios
O fotógrafo Cauby está convalescendo de um trauma numa pensão barata, numa cidade do Pará que algum tempo antes fora palco de uma corrida do ouro. Sua voz é impregnada da experiência de quem aprendeu todas as regras de sobrevivência no submundo - mas não é do ambiente hostil ao seu redor que ele está falando. O motivo de sua descida ao inferno é Lavínia, a misteriosa e sedutora mulher de Ernani, um pastor evangélico. A trajetória do fotógrafo, dado a premonições e a um humor desencantado, vai sendo explicada por meio de pistas: a história de Chang, morto num escândalo de pedofilia; o mistério de Viktor Laurence, jornalista local que prepara uma vingança silenciosa; a vida de Ernani, que no passado tirou Lavínia das ruas e das drogas. Mesmo diante de todos os riscos, Cauby decide cumprir seu destino com o fatalismo dos personagens trágicos. "Nunca acreditei no diabo", diz ele, "apenas em pessoas seduzidas pelo mal.
This Perfect Day - Ira Levin
Traz a tona o modelo de uma tecnocracia utópica com todos seus atributos, entre os quais a metodologia científica do controle da tecnologia, os controles para decisões não técnicas, eliminação do dinheiro, do valor e do interesse pessoal, reacolocação dos recursos, produtos, e serviços, diminuição no trabalho do ser humano para produzir estas quantidades fazendo uso apropriado da automatização, propiciar padrão elevado de vida para todos os cidadãos em termos de rendimento, dos cuidados de saúde, da instrução, e do lazer e a eliminação dos males sociais, tais como a pobreza, o crime, a poluição, a insegurança, e a doença.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Parabéns L.E

A comunidade Livro errante fechou o ano de 2008 com saldo positivo de muitos livros circulando livremente e em grupos fechados. Comemoramos 2 anos de existência, fazendo doações mensais de livros infantis para uma escola pública da cidade de Poços de Caldas em Minas Gerais. O que inicialmente seria apenas uma contribuição, acabou por se tornar um vínculo de amizade entre as professoras Cláudia e Lívia e o grupo doador. O Chá de Letrinhas como batizamos o movimento, foi extremamente prazeroso, acredito que muito mais para nós que para as crianças. A felicidade estampada naqueles olhinhos ávidos e curiosos foi por demais gratificante. Poços de Caldas ficou em nossos corações.
Depois de pequeno recesso, reiniciamos com algumas mudanças que ainda estão passando por ajustes. A comunidade cresceu em qualidade. Temos 110 títulos em oferta livre; 4 novos grupos fechados em andamento, 2 grupos novos em formação e quase a totalidade dos novatos está integrada.
Continuamos nosso trabalho de formação da biblioteca da escola pública da cidade de Umbuzeiro-PE projeto semelhante ao de Minas Gerais.
Em breve a comunidade completará 3 anos e só temos o que comemorar. Parabéns para nós todos!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Meu Pai - Carlos Said


Meu pai

Foi num domingo que prometia praia e cumpriu-se uma chuva miúda e intermitente, antecipamos nossa volta para São Paulo, na despedida meu pai como era costume, ficou encostado, ao portão de madeira da sua casa nos acenando um adeus. Nenhum de nós pressentiu que seria o ultimo, nunca mais o vi com vida, por temperamento não gostava de datas construídas comercialmente, como dia das mães, pais, etc, e isto transmitiu a mim, por isto pouco se lhe dá ser lembrado no dia dos pais dos avós ou o que seja, creio que gostaria de ser lembrado na sua alegria, na gargalhada cascateante, no seu humor as vezes caustico, no seu amor pelos livros.Para saber desta ascendência, é desnecessário, procurar os genes na cadeia espiralada do nosso DNA, basta olhar a cor dos meus cabelos, o sorriso que arremedo mas jamais será tão lindo, e algumas idiossincrasias que nos fazem um, e saberão que ele está em mim, assim como eu estarei sempre nele, nos perpetuaremos em seus netos, e bisnetos, como sempre o foi. E eu o verei sempre, sorrindo,apoiando-se no portão de madeira e saberei que após o nosso carro desaparecer no final da rua, ele pegará a bengala pendurada no braço,apoiará seu corpo cansado e com passos lentos, entrará em casa fecharaa porta, e, nos deixará com sua ausência.


(cedido pelo autor)

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Letrinhas paraibanas


A pequena Escola Municipal Flávio Ribeiro Coutinho na zona rural da cidade de Umbuzeiro - PB, abriga 70 alunos de 6 a 42 anos - pré escolar e educação de adultos. Com absoluta consciência de que pleno desenvolvimento só pode acontecer com educação a professora Maria Eliene refez seu local de trabalho. Anteriormente resumida a duas salas de aula no meio do nada e esquecida por quem não devia, era o podia ser visto alí no Sítio Agudo, numa serra na cidade de Umbuzeiro. A pequena escola hoje conta com cantina, sanitários, muro, merenda escolar com entrega regular, TV, DVD, 2 computadores com impressora sendo uma delas para Braile. Extraordinária capacidade de liderança, bom senso e profissionalismo, qualidades raras mas que encontramos,e eu, particularmente presenciei, na professora Maria Eliene deram ânimo à comunidade Livro errante. Há um ano, nosso projeto "Letrinhas Paraibanas" ajuda as crianças do local. Estamos formando a biblioteca da pequena escola. Dentro em breve, também os adultos vão ser contemplados porque a escola vai abrir espaço para a leitura também para os pais e amigos. Se você, de qualquer estado,também quiser colaborar entre em contato com o blog ou a comunidade. Sua doação irá direto para a escola, nada passará por nós. Cabe-nos apenas o agradecimento e a felicidade pela colaboração.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Graciliano Ramos - além da literatura

Pela insistência no nome, todos já devem ter notado minha paixão por Graciliano. Fazer o quê se cada releitura, cada entrevista sobre ele ou qualquer obra me traz algo de novo e surpreendente? Desta vez, é o conselheiro do tribunal de contas do estado de Pernambuco, Valdecir Pascoal quem, enaltecendo Graciliano Ramos quando de sua gestão na Prefeitura da cidade de Palmeira dos Índios, faz coro ao que falei neste blog em 4 de setembro de 2008:
"Seus relatórios administrativos não seriam cartilhas de leitura obrigatória a nossos governantes?"



Eis a matéria publicada no Jornal do Commércio (Recife)
» CONTAS PÚBLICAS
Exemplo de Graciliano é destacado no TCE
Publicado em 01.02.2009
Prefeito de Palmeira dos Índios (AL) no final da década de 20, escritor dava lições de austeridade e de transparência nos gastos, muito antes de restrições como as da Lei de Responsabilidade Fiscal» Continuação da página 3
“Dos funcionários que encontrei em janeiro do ano passado restam poucos. Saíram os que faziam política e os que não faziam coisa nenhuma. Os atuais não se metem onde não são necessários, cumprem as suas obrigações e, sobretudo, não se enganam em contas...”. As palavras são do escritor modernista Graciliano Ramos. Ex-prefeito de Palmeira dos Índios (AL), Graciliano não deixou herança restrita aos estudiosos da literatura.
Em sua gestão, no final da década de 20 do século passado, o prefeito da cidade alagoana, por meio de relatórios destinados ao governador do Estado, mostrou-se, de fato, vanguardista. Décadas antes do estabelecimento de restrições como a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) – que impôs maior controle aos gastos públicos – e dos disciplinamentos orçamentários, o então gestor de Palmeira dos Índios dava lições de austeridade e de transparência no uso dos recursos públicos.
A leitura dos modernos textos do literato certamente deverá constar no ”dever de casa” dos participantes do seminário que será promovido, a partir de amanhã, pelo Tribunal de Contas (TCE), destinado aos novos prefeitos e presidentes de Câmaras Municipais.
Para o conselheiro Valdecir Pascoal, um dos coordenadores do seminário e que fará a palestra de abertura do encontro, o conjunto de textos de Graciliano - disponível nas livrarias - é relevante por destacar a transparência nos gestos públicos. “Naquela época, não tinha essa coisa de TCE e ele já prestava contas. É fantástico, nada mais atual e moderno”, resume.
Apesar dos acertos, o ilustre ex-prefeito da cidade alagoana renunciou ao mandato dois anos após tomar posse. Sobre sua passagem na prefeitura, deixou mais uma lição aos novos administradores: “Para que semear promessas que não sei se gerarão frutos”, questionou na época.


P.S: os relatórios administrativos citados estão no livro: Vivente das alagoas - Além do exemplo de correção administrativa, lamentavelmente inédito até hoje, os relatórios, por seu brilhantismo literátio, levaram Graciliano Ramos a seu editor. Devemos, portanto, a esses relatórios, o grande escritor brasileiro.