sábado, 19 de dezembro de 2009

Cordel de Natal - Terê Penhabe

Cordel de Natal

Tere Penhabe


no nosso mundo, o Natal.
Que traga muita alegria
essa festa universal
calorosa e abrangente
que envolve a toda gente.

A maior da cristandade
de brilhos, de som e cores
inspira a fraternidade
paz, amizade e amores.
É pena que não resista
e para sempre persista.

O bom velhinho que mostra
vestido com primazia
chamam-no Papai Noel,
das crianças é a alegria
nunca vi ou passei perto
mas acreditei, é certo.

Porém tive a conclusão
que se não o encontrava
se em casa ele não vinha
é que na neve ele estava,
bem longe do meu rincão
mesmo assim, no coração.

Passei a vida querendo
encontrar o tal lugar
tão mágico e tão branquinho
que o velhinho deve estar.
Mas velha acabei ficando
e continuo esperando.

É preciso dar presentes
enquanto tem a quem dar
porque um dia eles se vão
não adianta lamentar
mesmo havendo controvérsia
sobre toda essa conversa.

Uma versão que li hoje
deixou-me estupefata...
Seria o Natal somente
troca de nomes mais nada
da grande festa de Mitra
deus sol da Roma antiga?

O papa Julio primeiro
mudou toda a convenção
transformando o Natal
(a festa do deus pagão)
na data que era preciso
pro nascimento de Cristo.

Porém de qualquer maneira
nessa parte pitoresca
a história toma seu rumo
já aqui ninguém contesta
que nasceu entre os judeus
Jesus, o filho de Deus!

Não se pode renegar
tudo o que nos ensinou
tal o penhor da sua vida
o exemplo que nos deixou.
Então agora é com a gente
ser borboleta ou serpente.

Na sua remota origem
claro que o Santo Natal
foi sempre pura magia...
Se mudou seu ritual
não mudou a emoção
que nos toca o coração.

A competência é dele
de nos fazer renascer
a obrigação é nossa
de tentar compreender
toda essa lição de vida
sem a qual ela é perdida.

A árvore representa
nossa vida renovada
a chegada de Jesus
foi para isso e mais nada.
mesmo que de antemão
pareça só tradição.

Presentes, há três versões
para se justificar
mas é o ato dos Reis Magos
que me faz presentear
a alguém muito querido
esperado e acolhido.

Seguindo a simbologia
velas indicam a luz
colocadas na janela
para se esperar Jesus,
Hoje nos deixam contentes
entre amigos e parentes.

Teve início na Inglaterra
costume de dar cartão
para levar o recado
que pousa no coração,
Desde que seja sincero
tem validade e eu espero.

Desde os primórdios tempos
a comilança já era
forma de reverenciar
à fome que sempre impera
na parte da sociedade
sem vida de qualidade.

São Francisco de Assis
fez o primeiro presépio
imitado com mil pompas
pelos ricos, não o clero,
que a função foi divulgar
e o povo o reverenciar.

Termina aqui meu cordel
mas não a boa vontade
que possamos algum dia
ter um mundo sem maldade
para tecer meu final:
- A todos: FELIZ NATAL!
Seja bem vindo outra vez