domingo, 8 de março de 2009

8 de março recusado


Ao contrarário do ano passado quando parabenizei as mulheres postando "Woman" bela música de John Lennon, por seu dia internacional, hoje me recuso a ficar presa a um dia. De saida porque o escolhido 8 de março foi justamente o de uma chacina. Por que ele? por que já começar ruim? Escolher algo mais feliz não significa negar o absurdo que foi o incêncio criminoso que matou aquela operárias. Não dá para esquecer aquele ocorrido como também não dá para deixar de ver tudo o que nos vem acontecendo de sórdido e absurdo desde então, em todos os lugares e em escala cada vez maior.

Mas, como disse antes, me recuso a ficar presa a um dia. Igualmente a tê-lo só para mim. Dia da mulher, por nossa índole acolhedora e plural, é também dia dos homens, do trabalho, da luta incessante, das crianças, do gostar do acolher, do dividir e sobretudo o dia da ternura. Para quem gosta deixo esse 8 de março: único, triste e comercial.

Eu sou a dona dos outros 364 dias. Quem quiser, sou coletiva como todas as mulheres, me acompanhe.

Um beijo a todos, mulheres e homens.