segunda-feira, 19 de maio de 2008

Comentário de maio: Ler é bom demais.

Ler é bom demais! A gente aprende a ler a vida e a recriá-la."A leitura amplia e integra os conhecimentos. Quem lê, constrói sua própria ciência; quem não lê, memoriza elementos de um todo que não se atingiu."(RUIZ, J. A. Metodologia Científica: guia para eficiência nos estudos)

Os alunos do Colégio Maxi lêem! A prática da leitura, incentivada a partir do Maternal, com a professora contando histórias, se estende por todas as séries da Educação Infantil ao Ensino Fundamental e Médio. Como explicar que um único aluno, Saleh El Kadre, de 10 anos, leia mais de 40 livros por ano, o equivalente a um exemplar a cada 9 dias?Crianças que possuem o hábito da leitura, incentivado durante toda a vida estudantil, desenvolvem o senso crítico e mantêm o rendimento escolar em nível elevado. Permitir que uma criança sonhe com uma aventura pela selva ou imagine uma incrível viagem espacial é um dos benefícios da leitura, que ampliam o conhecimento, desenvolvem a criatividade e despertam para o mundo das palavras. Com a leitura a criança constrói aquilo de que gosta e de que precisa e o que sonha.Os adultos também ganham. A leitura é uma das práticas mais saudáveis ao cérebro; um dos melhores exercícios para mantê-lo jovem. A neurociência atesta que o órgão, mesmo envelhecido, tem imensa capacidade de desenvolver novas conexões. A atividade da leitura é considerada como uma "aeróbica" dos neurônios, pois exige esforço da mente e demanda recursos técnicos e cognitivos.Quem lê com freqüência produz textos mais eficazes, o que representa uma vantagem competitiva para o mercado de trabalho. A escrita é uma forma de interação com a literatura com a qual o indivíduo teve contato durante toda a vida e o texto de sua própria produção. Ler não é apenas decodificar um amontoado de códigos, mas um processo em que se desenvolve o poder de interpretação, de compreensão e de discernimento. A leitura aprimora a capacidade de intertextualização e a maneira de se expressar na sociedade, conserva ativa a memória, faz aflorar a criatividade, facilita a produção de textos e desenvolve o senso crítico.Projetos de Leitura Segundo a professora do Colégio Maxi, Valéria de Sá, idealizadora da "Mala Mágica", um projeto de incentivo à leitura aplicado aos alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I, contar uma história é um momento mágico: "Não há criança que não se encante com um conto bem contado. Ela é capaz de ficar quieta e atenta, por alguns minutos, não por disciplina, mas por encantamento. Com criatividade, dinâmicas e uma dose de arte cênica, o contador de história envolve a criança e proporciona momentos de grande prazer", explica Valéria.Valéria Sá é responsável por acompanhar os trabalhos e projetos de leitura, desenvolvidos em sala de aula: "As iniciativas são bem-sucedidas e têm despertado nos alunos o interesse pelos livros. A Mala Mágica chega sempre carregada de muita vontade, de um bom livro e de algo que possa representar a história a ser transmitida. Com entonação de voz diferenciada, criatividade, fantoches e fantasias, os personagens deixam as páginas dos livros e ganham vida. Durante todo o conto, o livro é mantido por perto, para mostrar a versão original do texto e não passar a idéia de que a leitura é só uma brincadeira. Na seqüência, a professora da sala propõe que o educando faça um objeto ou um personagem relacionado ao conto, utilizando sucata, dobradura ou colagem".No projeto a Hora do Conto, uma contadora de história, devidamente caracterizada, conta e encena a história aos alunos, incentivando a retirada de livros na biblioteca para serem levados para casa e lidos na companhia dos pais. Os alunos de 3ª e 4ª séries do Ensino Fundamental, após a leitura, fazem um resumo com o nome do livro, o autor, a editora e um breve comentário da história. Esse resumo é trocado por uma folhinha verde com o nome do livro e da criança e colocada na Árvore da Leitura. Ao final de cada bimestre é feita a contagem por sala, e as três crianças que mais leram livros ganham o Prêmio Maxi Leitor.A Hora do Conto também deu início ao Projeto Conto de Fadas, desenvolvido pelos alunos da 3ª série, e ao Projeto Poesias, em que as crianças da 4ª série trabalham as rimas e diversos gêneros de poesias. Ambos são realizados de forma interdisciplinar, envolvendo outros professores e conteúdos.Para a Coordenadora da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I, Rejane Christine de Barros Palma, todo esforço é gratificante e necessário para incentivar a leitura: "Ler é uma das competências mais importantes a serem trabalhadas com os alunos. Ler não é decodificar palavras, mas fazê-las ter sentido e significado. É preciso compreender, interpretar e relacionar. A função da escola é ampliar o repertório do aluno, propiciando maior diversidade de gêneros textuais. Ao professor cabe realizar intervenções, auxiliando na formação do gosto literário. Deve-se começar com aquilo de que aluno gosta para, a partir disso, propor outras leituras", conclui Rejane.

http://www.maxi-in.com.br/maxi-in.asp?edicao=41&editoria=21

Muito prazer, Graciliano -

Caetés
Foi lido por: Márcia Regina (RS)
Está com Ane: (28/04/08)
Próximos leitores:Lucila(BA);Ninah(MG), Nana(RJ);Walquíria(RJ):Rosa(GO);Haydée(RS), Joelma(PB)
São Bernardo
Está com: Ninah(MG)
Próximos leitores:Nana(RJ);Walquíria(RJ);Haydée(RS),Cristiane Rose (RJ)
Angústia:
Foi lido por: Rosa(GO)
Está em trânsito para Ane (RC 405434720BR - 14/05/08)
Próximos leitores:Haydée(RS),Ninah(MG),Walkiria(RJ),Nana(RJ),Lucila(BA), Joelma(PB), Regina(PE)
Vidas Secas
Está com:Joisiane (13/05/08)
Próximos leitores:Ane/Haydée/ Ninah/Nana/Regina
Infância
Está em trânsito para:Rosa (GO) (RC368107459 BR - 19/05/08)
Próximos leitores:Haydée(RS);MRegina(RS),Ane(RS)Ninah (MG),Nana(RJ);Walquíria(RJ); Lucila(BA);Joelma(PB);Regina(PE)

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Marçal Aquino



Diálogos possíveis
Marçal Aquino, 50 anos, fala sobre suas experiências nas áreas de literatura e cinema na Bienal do Livro de Rio Preto, hoje, às 15h
Daniela FentiAgência BOM DIA
Divulgação/Adriana Vichi

Jornalista, escritor e roteirista, Marçal Aquino, posa para foto publicitária São 50 anos de história e pilhas de textos. O jornalista, escritor e roteirista Marçal Aquino é um dos destaques da 3ª Bienal do Livro de Rio Preto, hoje, às 15h, com a palestra “Literatura e Cinema: Diálogos Possíveis”.Marçal, leitor na maior parte do tempo, considera-se eclético. Atualmente lê uma coletânea com grandes reportagens e prefere se manter longe de títulos de ficção científica.Como espectador, não tem paciência para os musicais. Nem para os críticos que revelam o desfecho das histórias. “Evito ler as resenhas. Prefiro errar a perder o prazer da descoberta.”Recentemente assistiu ao drama “Um Beijo Roubado”, do diretor Wong Kar-Wai, e gostou.Sobrepostas a essas é que surgem as facetas conhecidas do homem que entende as especificidades das duas linguagens – a literária e a cinematográfica.“O livro sempre vai parecer melhor do que o filme, pois é mais complexo. São coisas diferentes”. Enquanto autor e roteirista, sua preocupação é compartilhar boas idéias com o público como se também fizesse parte dele.Seus textos literários geralmente são adaptados às telonas. Mas nada o impede de trabalhar na contramão. “Quando tinha 11 anos, costumava ver filmes e escrever sobre eles, ao chegar em casa. Não estou fechado a esta possibilidade.”Em seu universo criativo, é proibido proibir.ServiçoTambém haverá mesa redonda com os professores Sérgio Vicente Motta, Maria Heloísa Martins Dias e Maria Celeste Tommasello sobre “À Roda de Memórias Póstumas de Brás Cubas”, a partir das 19h. A programação completa está no site www.riopreto.sp.gov.br.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

As crianças escrevem - Chá de Letrinhas


As crianças da Escola Municipal Prof.Antônio Sérgio Teixeira em Poços de Caldas MG, enviaram cartinhas e estão nos brindando com demonstrações de carinho e felicidade.