sexta-feira, 4 de abril de 2008

Sexta poética - 4

Alienação

Márcia Regina
Rejeitam-se corpos entre surdas ameaças
Olhos de olhares vazios
Bocas mudas de som
Fecham-se portas no cerrar de caminhos
Fendas ressecadas são amortecidas
Mãos andarilhas não revolvem mais
Rejeitam-se corpos entre surdas ameaças
Teus olhos vazios
Minha boca muda