sábado, 15 de março de 2008

Eu deixei um livro errante...

Pânico, Terror e Aflição
 
     Até que enfim consegui liberar meus errantes.Não sei como foi para vocês, mas até a escolha dos títulos me deixou atarefada. Muito difícil praticar o desapego em relação a tudo que é tão querido, não é mesmo? Libertados: Xangô de Baker Street (Jô Soares), deixado no ônibus 996:O Perfume (Patrick Süskind), deixado no café do cinema Unibanco Artplexe Harry Potter (o 1º da série), deixado na lanchonete ao lado de colégio Pedro II,Sobre o Xangô:Foi o primeiro livro que liberei. Passei três dias andando com ele dentro da bolsa.Eu pensava: não quero deixar no Shopping, as pessoas lá (provavelmente) têm acesso a livros.Banco de ponto de ônibus? E se um desses catadores de lixo jogar meu livro fora? Pior, e se um doido puser no lixo? Paranóia! Eu precisava saber que destino aguardava meu Errante!Por fim, decidi deixar o livro no tal ônibus 996.É um ônibus que liga Rio/Niterói, onde é muito grande o fluxo de estudantes, sobretudo da UFF e PUC.Nesse dia, peguei o do tipo especial, aqueles de turismo. Larguei o livro numa das poltronas e sentei por perto.Umas três pessoas passaram, olharam, mas não sentaram. Quase como se o livro estivesse ali guardando o lugar de alguém.Duas outras pessoas sentaram, olharam para o livro, mas não abriram. Depois como que desconfiadas, mudaram de lugar.O ônibus já estava ficando cheio e um casal buscava duas poltronas juntas.Olharam para o livro, pararam, e acabaram sentando.Qual não foi minha surpresa quando o rapaz simplesmente pegou o livro e jogou lá pra cima, no bagageiro???!!!!Não podia acreditar naquilo! Como alguém não tem nem curiosidade em abrir? Claro que minha vontade foi pegar o livro de volta, mas me contive e deixei lá.SE alguém encontrar, será na hora de limparem o ônibus.Por que essa história toda?Depois disso, resolvi apenas largar os outros dois num canto e partir.Definitivamente, o que os olhos não vêem, o coração não sente!

(Depoimento de Daniela - comunidade Livro Errante )